Foto de cidade a noite com o ano 2030 abaixo

Artigo 4 – Previsões da indústria de seguros para 2030 e como as corporações podem se preparar

A inovação vem ganhando cada vez mais espaço na indústria de seguros, provocando mudanças nos produtos, plataformas e serviços, a fim de assegurar a competitividade em um mercado cujo foco atual é na experiência dos clientes.

Em um futuro não muito distante, todos os aspectos da indústria de seguros serão transformados, especialmente em razão do impacto da Inteligência Artificial. Essas mudanças já podem ser sentidas nos dias de hoje, em que podemos precificar, adquirir e emitir uma apólice de seguro em questão de segundos.

A partir de um exame aprofundado do mercado atual e do impacto da tecnologia, a consultoria americana McKinsey & Company apresentou uma estimativa de como o mercado de seguros estará em 2030, destacando algumas das atividades que sofrerão mudanças intensas, a saber:

Experiência de compra e precificação nas seguradoras

Adquirir um seguro será muito mais rápido, com envolvimento menos ativo por parte da seguradora e do cliente. As ferramentas tecnológicas serão capazes de coletar informações suficientes para criar perfis de risco adequados, reduzindo o tempo entre a cotação e emissão de uma apólice para poucos segundos.

O preço continua a ser um ponto central na tomada de decisão pelo cliente, mas a concorrência vai além disso. Plataformas inovadoras conectam clientes e seguradoras e oferecem experiências, recursos e valor diferenciados.

Nas seguradoras, os preços estão disponíveis em tempo real, com base no uso e em uma avaliação de risco dinâmica e rica em dados, permitindo que os consumidores tomem decisões sobre como suas ações influenciam a cobertura e os preços.

Indenização do segurado

Estima-se que, até 2030, mais da metade das atividades envolvendo a indenização dos segurados serão automatizadas, aumentando a eficiência e precisão.

A atividade humana ficará restrita a algumas áreas: pedidos complexos e incomuns; pedidos contestados, em que a interação humana e a negociação são fortalecidas por análises e insights baseados em dados; e problemas sistêmicos e riscos criados por novas tecnologias.

Como as seguradoras podem se preparar?

Apesar de não ser possível prever exatamente como o mercado de seguros será em 2030, a partir das apontadas tendências, os consultores especialistas identificaram algumas medidas que podem ser tomadas pelas empresas que querem se preparar para as mudanças que estão por vir:

  • Estar atento às tendências relacionadas a inteligência artificial;
  • A partir dos insights trazidos pela IA, desenvolver e implementar um plano estratégico que aborde todas as quatro dimensões envolvidas em qualquer iniciativa de grande escala baseada em analytics:

Fonte: McKinsey & Company
  • Criar e executar uma estratégia de dados capaz de aprimorar a análise e gerenciamento de riscos;
  • Buscar e reter talentos que sejam tecnologicamente adeptos, criativos e dispostos a trabalhar em processos dinâmicos;
  • Integrar habilidades, tecnologia e percepções de toda a organização para oferecer experiências únicas e holísticas ao cliente.

Os rápidos avanços tecnológicos provocarão mudanças disruptivas na indústria de seguros nas próximas décadas. A fim de acelerar seu processo de inovação, as empresas devem enxergar as startups como um ecossistema de co-desenvolvedores e parceiros, em vez de apenas outro fornecedor com uma solução pontual, conforme aponta esse estudo feito pela Deloitte.

Com uma solução desenvolvida especialmente para o ecossistema de garantias, a Avita é um exemplo de insurtech parceira, que entrega um serviço de alto valor agregado aos seus clientes.

Com uma tecnologia capaz de automatizar a contratação e gestão de grandes volumes de garantias, a Avita colabora para diminuição dos custos operacionais e financeiros relacionados à contratação e gestão de garantias, contribuindo para a preservação do caixa da empresa.

Avita é uma insurtech inovadora, líder de mercado em seu segmento, que segue atenta às tendências do futuro da indústria de seguros. Quer saber mais? Fale com nossa equipe!


FONTES:

 https://www.mckinsey.com/industries/financial-services/our-insights/insurance-2030-the-impact-of-ai-on-the-future-of-insurance

https://www2.deloitte.com/global/en/pages/financial-services/articles/fintech-insurtech-investment-trends.html